Parece que a Bimby faz tudo não é? Então também pode ter feito o meu blog, juntei umas ideias doidas, recordações, amigos e ficou assim...

26
Jan 09

Do artigo "O Futuro começa agora" das Selecções Reader's Digest:

 

Alice - quase 4 anos

- «Alice, a Anabela quer fazer-te uma entrevista, sabes o que é?»
- «Sei, é perguntas.»
- «E tu o que é que fazes?»
- «Digo coisas.»
- «Que coisas?»
- «Coisas inteligentes.»

 

«Quando for crescida, quero ser médica. E o Pedro [irmão] vai ser um coelho (...) Um coelhinho doente.»

 

«Uma birra é eu chorar porque sim.»

 

Branquinha - 5 anos

«O António, que é o mais velho da nossa aula, ainda não sabe contar. Eu sei contar até 20, ele só sabe contar até 1!»

 

«Sei uma hora: quando o ponteiro grande está aqui, já fechou a porta do meu colégio.»

 

Joana - 7 anos

«Vou-me casar e vou ser rainha de Portugal. Vou casar com um menino rico. Quero ter um filho que já saiba portar-se bem, porque não tenho paciência para os bebés que estão sempre a chorar.»

 

«Gosto de correr e tenho muita energia. Se estou nos Jogos Olímpicos e parto uma perna, passo para as – diz devagar – Paraolimpíadas.»

 

«Sirvo para modelo! Sou magrinha, chique, e não sou de usar roupas pirosas.»

 

«Agora, estou a cismar que tenho pneumonia, não paro de espirrar … Porque é que tem pneu no princípio, se não tem nada a ver com pneu? Que é que é monia?»

 

Manuel - 7 anos

«Podes brincar com o meu trabalho, não podes brincar com as minhas namoradas. Além disso, eu nunca podia gostar da Inês, aquela feiosa.»

 

«Já lhe dei muitas palmadas. Quer dizer, ainda não lhe dei muitas. Eu nem lhe dei nenhuma. Mas aperto-lhe a bochecha.»

 

Vicente - 8 anos

«O António chateia-me quando me diz que sou um carneiro.»

 

«E digo-lhe que tenho vontade de lhe bater. Mas não lhe digo nada. Vou a correr bater-lhe.»

 

«As raparigas só brincam com a Barbie, e as Barbies são uma porcaria! Nunca tive nenhuma amiga rapariga!»

 

artigo completo em seleccoes.pt

 

 

oblogfeitonabimby - "Eu até gosto de crianças, excepto do meu vizinho de cima."

 

Mensagem para ele:

Ouve... já que tens de chorar, pelo menos aprende a fazê-lo, senão, vai mas é trabalhar ó malandro!

E quando te apetecer riscar o chão da tua cozinha com uma colher, lembra-te que debaixo do teu chão há um tecto... O DA MINHA CASA!

Só mais uma coisinha. Se eu sei que a infiltração que tenho no quarto é por andares a fazer xixi no chão vais aprender a usar o penico, mas é para o resto da tua vida.

publicado por alentejana* às 11:40
sinto-me: bem, obrigada

11
Nov 08

Ontem revi o filme 'Gremlins' (Sim, não tinha mais nada para fazer). O Gizmo não podia ter contacto com a água, nem luz e não podia ser alimentado depois da meia-noite, lembram-se?

 

Como é que eu não sabia que tinha o dedo do Spielberg?

 

Talvez porque na altura que eu via o filme isso era o que menos interessava. Mas lá que o Gizmo continua um animal de estimação muito à frente isso continua. Hoje em dia teria de levar vacinas xpto,  chip de identificação e açaime (acho que nunca tinha escrito esta palavra) para ir à rua. Ah, e provavelmente óculos escuros especiais por causa da luz.

 

'Tá claro que continuo melindrada por não me deixarem ter um cão. E não me digam para comprar um peixe!

 

 

fanei daqui http://users.forthnet.gr/ath/dpangalos/gremlin.jpg

publicado por alentejana* às 13:11
sinto-me: agizmada

04
Nov 08

Mandaram-me um mail, do qual retirei esta parte:

 

"- De acordo com os reguladores e burocratas de hoje, todos nós que nascemos nos anos 60, 70 e princípios de 80, não devíamos ter sobrevivido até hoje, porque as nossas caminhas de bebé eram pintadas (com cores bonitas!), em tinta à base de chumbo que nós muitas vezes lambíamos e mordíamos.

- Não tínhamos frascos de medicamentos com tampas 'à prova de crianças', ou fechos nos armários e podíamos brincar com as panelas.

- Quando andávamos de bicicleta, não usávamos capacetes.

- Quando éramos pequenos viajávamos em carros sem cintos e airbags, viajar á frente era um bónus...

- Bebíamos água da mangueira do jardim e não da garrafa e sabia bem.

- Comíamos batatas fritas, pão com manteiga (a sério) e bebíamos gasosa com açúcar, mas nunca engordávamos porque estávamos sempre a brincar lá fora.

- Partilhávamos garrafas e copos com os amigos e nunca morremos disso.

- Passávamos horas a fazer carrinhos de rolamentos e depois andávamos a grande velocidade pelo monte abaixo, para só depois nos lembrarmos que esquecemos de montar uns travões. Depois de acabarmos num silvado aprendíamos.

- Saíamos de casa de manhã e brincávamos o dia todo, desde que estivéssemos em casa antes de escurecer.

- Estávamos totalmente incontactáveis e ninguém se importava com isso.

- Não tínhamos Play Station, X Box.

- Nada de 40 canais de televisão, filmes de vídeo, home cinema, telemóveis, computadores, DVD, Chat na Internet.

- Tínhamos amigos - se os quiséssemos encontrar íamos á rua.

- Jogávamos ao elástico e à barra, e a bola até doía!

- Caíamos das árvores, cortávamo-nos, e até partíamos ossos mas sempre sem processos em tribunal.

- Havia lutas com punhos mas sem sermos processados.

- Batíamos ás portas de vizinhos e fugíamos, e tínhamos mesmo medo de sermos apanhados.

- Íamos a pé para casa dos amigos.

- Acreditem ou não, íamos a pé para a escola; Não esperávamos que a mamã ou o papá nos levassem.

- Criávamos jogos com paus e bolas.

- Se infringíssemos a lei era impensável os nossos pais nos safarem. Eles estavam do lado da lei.

 

Esta geração produziu os melhores inventores e desenrascados de sempre. Os últimos 50 anos têm sido uma explosão de inovação e ideias novas. Tínhamos liberdade, fracasso, sucesso e responsabilidade e aprendemos a lidar com tudo."


Orgulho-me de pertencer a esta geração maravilha!

 

E eram tempos felizes quando...

... andava de bicicleta sem travões a altas velocidades que me deixaram com cicatrizes nos cotovelos e joelhos até hoje.

- Quando entornei um frasco de diluente pela cabeça abaixo e ia ficando cega.

- Quando cortei o lábio ao meu irmão com uma tesoura cheia de ferrugem.

- Quando comi coisas que ninguém se lembra de comer (e se fosse hoje em dia faziam me logo uma lavagem ao estômago).

- Quando apanhava caixas cheias de gafanhotos.

- Quando saía para a escola sem mochila e ao chegar lá apercebia-me e tinha de voltar a casa para ir buscá-la.

- Quando fazia pontes com tábuas podres, espetava os pés em pregos velhos e caía em cima das hortigas (tudo no mesmo momento e por esta ordem).

- Quando andava de galochas (não porque era moda, mas porque ia até à horta do avô brincar e saía de lá com lama até às orelhas).

- Quando o meu avô me comprava aqueles magnum de cone gigantes que custavam 300$.

 

E tantas outras coisas...

publicado por alentejana* às 10:27
sinto-me: velhota

23
Out 08

Ena que saudades do Bocas e dos meus ténis nº 30 dos Simpsons!

 

publicado por alentejana* às 13:13
sinto-me: na 1ª classe

Outubro 2010
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2

3
4
5
6
7
8
9

10
11
12
13
14
15
16

17
18
19
20
21
22
23

24
25
26
27
28
29
30

31


mais sobre mim
pesquisar